0 o Leme na Nobiliarquia Nobiliário Genealogia da Ilha da Madeira, não tem Antão Leme

 A Melhor História sobre a Origem e primeira geração de nós Leme é esta:

Abra este PDF:

A ORIGEM A A PRIMEIRA GERAÇÃO DOS LEME – O texto mais bem documentado e atual

MARTIN LEM

NOSSO TRONCO

NOSSA RAÍZ

MARTIN LEM Casou-se em Setembro de 1467, em Louvain, na Bélgica, com Adrienne van Nieuwenhove, nascida em 1º de Março de 1448, filha de Nicolas van Nieuwenhove e Agnes de Metteneye. Adrienne faleceu em 27 de Março de 1484 (ou 1492), em Bruxelas. Além disso, enquanto morava em Portugal, Martim teve longo relacionamento extra-conjugal com a portuguesa LEONOR RODRIGUES.

Em 1464, seus filhos com Leonor Rodrigues foram legitimados por Dom Affonso V.

Martim faleceu em 27 de Março de 1485, em Louvain, e foi sepultado na igreja de São Donato, em Bruges.

Foi pai de nove filhos e oito filhas:

[de seu relacionamento com Leonor:]

1.1. Luís Leme, nascido em Lisboa. Luís faleceu em Flandres. Solteiro.

1.2. Martim Leme, , nascido em 12 de Novembro de 1450, em Lisboa. Casou-se com […]. Após a morte de sua primeira esposa, Martim casou-se pela segunda vez, com Maria Adão, filha de ADÃO GONÇALVES FERREIRA e de BEATRIZ PIRES (ESTEVES). Martim faleceu em 1487.

Martim foi gentil-homem da Câmara do Imperador Maximiliano I, do Sacro Império.

1.3. João Leme, nascido em 20 de Novembro de 1459, em Lisboa. João faleceu em Funchal, na Ilha da Madeira.

1.4. Rodrigo Leme (Ruy Leme), nascido em 20 de Novembro de 1460.

1.5. Catharina Leme, casada com Fernão Gomes da Mina. Após a morte de Fernão, Catharina casou-se pela segunda vez, com João Rodrigues Paes.

João foi Contador-mor do reino.

1.6. Isabela Leme.

1.7. Maria Leme, casada em Lisboa com Martim Diniz. Maria faleceu em 1490, Lisboa.

1.8. ANTONIO LEME, casado em 1485, em Funchal, com CATHARINA DE BARROS, A NETA, filha de PEDRO GONÇALVES DA CLARA e de ISABEL DE BARROS. NOSSO TRONCO NOSSA RAIZ.

[dO CASAMENTO DE MARTIN LEM com AdrienneNieuwenhove :]

1.9. Charles Lem, nascido em 12 de Julho de 1468. Casou-se com Cornélie Veyse, Dama de Meulebeke, filha de Jean Veyse e de Isabelle de La Douve.

Em 1484, 1490 e 1493, Charles foi Conselheiro em Bruges.

Em 1489, foi preposto da confraria de Saint Sang.

Em 20 de Dezembro de 1491, foi membro da nobre Confraria de Notre Dame de l’Arbre Sec.

Em 1491, foi tesoureiro.

Em 1494 e 1504, foi chef-homme de Bruges.

Em 1504 foi juiz escabino.

1.10. Eleonore Lem, nascida em 1469. Casou-se com Charles de Clercq, filho de Jean de Clercq e de Marie Defevre.

Charles era Cavaleiro, e foi Senhor de Bovekerke.

1.11. Adrien Lem, nascido em 2 de Maio de 1470. Adrien faleceu em 1502. Solteiro.

Em 1494 e 1499, Adrien foi Conselheiro em Bruges.

Em 1498, foi chef-homme de Bruges.

Em 1500, foi oficial do confraria de Saint Sang.

Em 1501, foi juiz escabino.

1.12. Jean Lem, nascido em 9 de Maio de 1472. Casou-se com Jossine van Wulsberghe, nascida em 1472, filha de Jean van Wulsberghe e de […].

Em 1495, Jean foi juiz escabino.

Foi recebedor da prefeitura de Bruges.

Em 1492 e 1503 foi burgomestre de Bruges.

1.13. Marie Lem, nascida em 3 de Junho de 1473. Casou-se com Guillaume Hugonet II, o Saliente, Visconde de Ypres, nascido em 1472, filho de Guillaume Hugonet e de Loyse de Laye. Guillaume II faleceu em 1537.

Guillaume II foi cavaleiro e Senhor de Middelbourg, em Flandres.

1.14. Martine Lem, nascida em 1474. Casou-se Roland van Moerkerke, filho natural de Jacques Moerkerke e de […]. Martine faleceu em 1511, e Roland em 9 de Novembro de 1512, e ambos foram sepultados em Thourot.

1.15. Agnes Lem, nascida em 28 de Abril de 1475. Casou-se com Jean Pascal. Agnes faleceu em 1514.

1.16. Martin Lem, nascido em 8 de Setembro de 1476. Casou-se com Catherine d’Hamer (Catherine d’Hanere), filha de Jean d’Hamer e de Louise de Vleeschhouwer. Após a morte de Catherine, Martin casou-se pela segunda vez, com Jeanne van Eeghem (Jeanne van Eaglen). Jeanne faleceu em 4 de Outubro de 1595, e foi sepultada em Saint André lez Bruges.

Em 1505 e 1532, Martin foi Conselheiro em Bruges.

Em 1513, 1516, 1519, 1523, 1526, 1535 e 1538, foi juiz escabino.

Em 1514, foi chef-homme de Bruges.

Em 1531, foi oficial da confraria de Saint Sang.

Em 1533, foi membro da Sociedade de Saint Georges.

1.17. Catherine Lem, nascida em 1477. Casou-se com Pieter van der Burch (Pierre van der Burgh), filho de Joos van der Burch e de Cathelyne van der Meersch.

 

(fol. 102)

LEMES

BRAZÃO D’ARMAS

Dom Affonço, por graça de Deus, Rei de Portugal e d’o Algarve, etc. A quantos esta nossa Carta virem fazemos saber que considerando nós em como o Principe meu sobre todos muito presado e amado filho, de seu próprio querer e vontade por seus serviços fez a Antonio Leme cavalleiro de sua Casa, nós havendo respeito a sua bôa vontade e desejo com que nos veio de Flandres servir em a tomada d’a nossa Villa d’Arzilla, e Cidade de Tangere com certos espingardeiros e homens em uma urca, com o qual seu pae Martim Leme o enviou a nos servir n’a dicta guerra; e querendo mais honrar, como costumamos, fazer aos que semelhantemente bem servem, como elle fez de si, querendo-lhe fazer graça e mercê, de nosso próprio querer, vontade e poder absoluto, queremos e a nós praz, darmos-lhe um escudo timbrado de nossas armas, a saber: um escudo d’o qual o campo é de ouro com cinco merlotas de sable em santour, segundo é conteúdo em este escudo aqui em esta nossa Carta patente, blasonado e pintado, posto que nos bem em conhecimento somos que elle d’a parte de seu pae pode trazer armas com differença, mas porque elle verdadeiramente as tenha e possa trazer como chefe d’ellas, sem differença alguma, como aquelle que por seus serviços e merecimentos ganhou nós lhe damos as dictas armas novamente para elle, e para todos aquelles que d’elle descenderem por le-

(verso)

legitimo matrimonio, e por esta nossa carta mandâmos ao nosso primeiro Rei d’armas e Officios d’ellas que assim o notifiquem, e em seus livros registrem porque assim é nossa mercê e vontade; e por sua guarda e memoria e ser notorio para sempre, como todo passou lhe mandamos dar esta nossa Carta por nós assignada e sellada do nosso sello de chumbo; dada em a nossa Cidade de Lisbôa a dous dias d’o mês de Novembro. Martim Lopes a fez d’o Nascimento de Nosso Senhor Jezus Christo de mil quatrocentos septenta e cinco (1).

ARMAS

Em campo de ouro, cinco melros de prêto em aspa sem pés nem bicos; timbre, um d’os melros entre uma aspa de ouro.

(1) Na margem externa, com este sinal, está o teór seguinte: (1) L.º 3.º d’os Misticos d’a Torre d’o Tombo, a f. 15.

§ 1.º

N.º 1 – Antonio Leme, cabeça d’esta familia, em Portugal, e seu irmão Martim Leme, erão cavalleiros flamengos naturaes de Brujes; traz a causa d’a sua vinda a Portugal Manuel Soeiro n’os Annaes de Flandres, parte 2.ª, L.º 23.º anno 1471 n’as palavras seguintes:

Estimava mucho el Duque las mercedes que El Rey de Portugal Don Alonso y el Principe Don Juan hazian a los cavalleiros flamengos que iban a servir-los; destos fueron Martin y Antonio hijos de Martin Leme, naturales de Brujas, aunque sus antepassados eran de Berghes I. Winoch; enbiolos el padre com una urca que armó , a la jornada d’Arzila; y portaron-se tan valerosamente que el Principe Don Juan tomó

(fol. 103)

en su caza por cavallero della al Antonio y El Rey le dió ahora un escudo de armas en campo de ouro com cinco merletas de sable, en santour; quedaron del descendentes en Portugal com el appellido de Leme, porque el Martin sebien de cazó en aquel Reyno com una Dama del linage de los Barrozos, bolvió a Brujas su Patria, que fué Gentilhombre de la Camara del Emperador Maximilianno, y escotete de Brujas.

E na margem, por cota, traz estas palavras:

“Parece del Blazon que está en la Torre d’o Tombo en el Libro tercero de los Misticos; devió tomar estas Armas por differenciar-se algo(como hazen aqui los hijos segundos) de las Flandres que son tres merlotas de sable en campo de prata”.

Antonio Leme, como vimos, cavalleiro da Casa do Principe D. João viveu em Portugal (1) onde lhe não achamos casamento, e me persuado ser casado em Flandres; por quanto acho seu filho Martim Leme o Môço depois de 12 annos d’a sua vinda n’esta Ilha; e é civel que depois de assentar casa o mandasse buscar para Portugal.

Houve entre outros filhos a

2 – Martim Leme (2).

2 – Martim Leme, filho de Antonio Leme, o Flamengo, chamárão-lhe o Moço, parece que em distinção de seu tio, irmão de seu pae: passou a esta Ilha, onde o acho n’o anno de 1483, em que es-

(verso)

escreveu ao Duque D. Fernando (ou Diogo) uma Carta á Camara d’esta Cidade, então Villa, de recomendação d’o dicto Martim Leme, o Moço a qual está n’o Archivo d’ella, T.º 1.º, f. 158; morreu n’esta Ilha e jaz sepultado em S. Francisco d’esta Cidade n’o cruzeiro á mão direita d’a Capella Mór.

Casou com Maria Adão, filha de Adão Gonçalves Ferreira, em título de Ferreiras, § 1.º, N.º….

De quem houve

3 – Antonio Leme.

3 – João Leme, de quem não houve geração, e jaz enterrado em S. Francisco d’esta Cidade defronte d’o Altar de St.º Antonio.

3 – Antonio Leme, filho de Martim Leme, o Môço, viveu n’esta Ilha rico, e morreu por cima desta Cidade n’a freguezia de St.º Antonio n’a sua Quinta d’os Lemes, que ainda hoje conserva o nome.

Casou com Catharina de Barros, filha de Pedro Gonçalves d’a Clara, e de Izabel de Barros, em título de Barros, § 1.º, N.º 3.º, a qual fez

(1) Na margem externa, com este sinal, está o teór seguinte: (1) V.e. título de Leme, T.º 15.º, f. 114.

(2) Na margem externa, com este sinal, está o teór seguinte: (2) Outros dizem que era irmão de Antonio Leme, e filho B. de Martim Leme e de Leonor Rodriques, o qual com outros irmãos legitimos (verso) El Rei D. Affonço 5.º n’o anno de 1464, como se vê d’o 2.º L.º legitimações d’a feitura d’os Reis n’a Torre d’o Tombo, f. 151, este e seu irmão Antonio Leme, fôrão os que se achárão n’a tomada de Tanger e Arzilla. Manuel Soeiro diz que elle casára n’a familia d’os Barrosos; devia ser 1.ª vez, e d’esse matrimonio seria filho o Martim Leme que foi Gentilhomem d’a Camara d’o Imperador Maximillianno, como se diz em título Lemes T.º 15.º, fl. 114.

morgado de sua 3.ª que está sita n’a Ponta d’o Sol, a qual consérvão hoje seus netos descendentes de sua filha D. Leonor Leme: jaz enterrada n’a Capella maior de St.º Antonio d’o Campo.

De quem houve

4 – Pedro Leme.

4 – Alexos Leme, § 2.º.

4 – Rui Leme, § 5.º.

4 – D. Antonia Leme, mulher de Pedro Affonço de Aguiar, filho 2.º de Rui Dias

(fol. 104)

de Aguiar e de Leonor Homem, em título de Aguiares, § 3.º, N.º 3.º.

4 – D. Leonor Leme, mulher de André de Aguiar d’a Camara, filho de Diogo Affonço d’Aguiar, o Moço, e de D. Izabel de Castello Branco, em titulo de Aguiares, § 1.º, N.º 3.º.

4 – Pedro Leme, filho 1.º de Antonio Leme, viveu em St.º Antonio n’a Quinta d’os Lemes n’a qual instituio Morgado com obrigação d’o Appellido de Leme, em seus filhos bastardos; e como faltou d’elles a geração passou por demanda a seus parentes collateraes descendentes de sua irmaã D. Leonor Leme; morreu o dicto Pedro Leme prêso em Lisbôa n’o anno de 1556, e não poude averiguar a causa.

Não casou, mas houve B. B.

5 – Christovão Leme, que morreu prêso em Lisbôa como seu pae n’o mesmo anno em Septembro.

5 – Manuel de Barros Leme, s. g.

5 – Octavio Leme, s. g.

5 – Maria Leme, que casou em 10 de dezembro de 1556 com Pedro Gomes de Galdo, s. g. e foi senhora d’o morgado de seu pae, e por sua morte passou a outra linha.

5 – Hellena de Barros Leme, que casou em 3 de Agosto de 1565 com Tristão Barradas, s. g.; e havia sido mulher de Francisco d’Almeida, de quem houve:

6 – Leonor Leme, que morreu moça.

6 – Maria Leme, mulher de Salvador Lopes, s. g.

Segue § 2.º.

(verso)

§ 2.º

N.º 4 – Alexos Leme, filho 2.º de Antonio Leme, § 1.º, N.º 3.º, morreu em 1544, e jaz em São Francisco n’a Capella de São Thiago com sua tia Aldonça de Barros.

Casou com D. Mecia de Mello, filha de Diogo Homem de Souza, e de D. Catharina de Berrêdo, em título de Homens Souzas, § 11.º N.º 2.º.

De quem houve

5 – Martim Leme, s. g.

5 – Diogo Leme, s. g.

5 – Rui Leme.

5 – D. Catharina de Berrêdo, mulher de Luiz de Lião, s. g.; fez testamento em 17 de Septembro de 1579 approvado por Manuel Tavira de Cartas, Tabelião de Notas n’o Funchal n’o dicto dia; por elle fez morgado de seus bens, n’os quaes, por fallecimento de seu marido Luiz de Lião deixa a sua irmaã D. Antonia, e esta o poderia nomear em um filho ou filha que lhe parecesse. Pelo mesmo se colhe que esta D. Catharina fôra primeiro casada com Jorge Moreno. Manda pagar uma divida á mulher de Diogo Lopes de Lião, Medico, que devia ser irmão ou parente d’o marido.

5 – D. Antonia Leme d’a Silva, § 3.º.

5 – D. Leonor Leme, § 4.º.

5 – Rui Leme, filho 3.º de Alexos Leme.

Casou em Lançarote com D. Elvira Pires.

De quem houve

(fol. 105)

6 – Martim Leme d’a Silva.

6 – Martim Leme d’a Silva, filho de Rui Leme.

Casou com D. Catharina de ………………………..

De quem houve

7 – Rodrigo Leme, que casou com D. Joanna Espinola, s. g.

7 – Diogo de Cabreira Leme, que casou em Lançarote.

7 – Bartholomeu Cabreira Leme.

7 – Bartholomeu Cabreira Leme, filho ultimo de Martim Leme d’a Silva.

Casou n’o Porto Sancto com D. Gregoria Coelha, filha de ……………….

De quem houve

8 – Martim Leme d’a Silva.

8 – Paschoal Leme.

8 – Mathias Leme, que casou n’a Calhêta, e teve filhos:

9 – Fr. Manuel de S. Thomaz, Frade de S. Francisco, n’esta Custodia.

9 – Padre Jozé Leme d’a Camara, Vigario d’a Ponta d’o Sol.

8 – Manuel Leme d’a Silva, que sahio n’o Auto de fé d’o St.º Officio de Lisbôa em 11 d’Agosto de 1700 por culpa de casar duas vezes, sendo viva a primeira mulher; era morador n’a Cidade d’a Bahia.

8 – D. Maria, e D. Catharina, solteiras.

8 – Martim Leme d’a Silva, filho de Bartholomeu de Cabreira Leme.

Casou 1.ª vez, e houve d’este matrimonio:

9 – D. Dionysia.

(verso)

Casou 2.ª vez em Lisbôa com Maria Monteira.

De quem houve

9 – Francisco Leme d’a Silva, que foi para Angola.

9 – Felicianno Leme d’a Silva, que foi para a Índia.

§ 3.º

N.º 5 – D. Antonia Leme d’a Silva, filha de Alexos Leme, § 2.º, N.º 4.º, morreu em 24 de Outubro de 1620; herdou o morgado que lhe deixou sua irmaã D. Catharina de Barrêdo; e sendo já viuva, o nomeou em dote a sua filha D. Brites d’a Silva para casar com Fernão Favella de Vasconcellos por escriptura feita em 14 de Outubro de 1610.

Casou em 10 de Agosto de 1567 com Francisco de Salamanca Polanco, Castelhano natural de Burgos em Castella a Velha, o qual morreu em 31 de Março de 1597, e jaz em S. Francisco.

De quem houve

6 – Antonio de Salamanca Polanco.

6 – D. Andreza d’a Silva, mulher de Francisco Vieira d’Abreu, filho de Manuel Vieira d’o Canto, e de Beatriz d’Abreu em titulo de Cantos, § 1.º, N.º 3.º.

6 – D. Maria Polanco, que nasceu em 1575, e casou com Christovão d’Atouguia d’a Costa, filho de João Rodrigues Neto, e de D. Magdalena d’Atouguia, em titulo de Nettos, § …, N.º ….

6 – D. Brites d’a Silva, mulher de Fernão

(fol. 106)

Fernão Favella de Vasconcellos, filho de Antonio Favella de Vasconcellos, e de D. Izabel Gramaxo, em título de Favellas, § 2.º, N.º 4.º, a qual morreu em 25 de Novembro de 1646, s. g.; fez testamento, e nomeou o morgado n’a sua sobrinha D. Brites de Abreu, filha de sua irmaã D. Andreza.

6 – D. Anna, que morreu môça.

6 – Antonio de Salamanca Polanco, filho de D. Antonia Lopes, e de Francisco de Salamanca Polanco, nasceu em Septembro de 1573, e era vivo n’o anno de 1610.

Casou em 16 de Fevereiro de 1608 com D. Ignez de França, filha de Pedro Braz de França, e de Ignez Mendes d’Abreu.

De quem houve

7 – D. Mecia Polanco, mulher de Mem de Brito de Oliveira, filho de Nicolau de Brito de Oliveira, e de D. Maria de Bettencourt e Freitas, em título de Britos Oliveiras, § 2.º, N.º 5.º.

§ 4.º

N.º 5 – D. Lionor Leme, filha ultima de Alexos Leme, morreu em 15 de Janeiro de 1619, § 2.º, N.º 4.º.

Casou com Martim Vaz de Cairos, filho de Constantino de Cairos, e de D. Izabel Gramaxo.

De quem houve

6 – Martim Vaz de Cairos, que morreu, s. g.

6 – Alexos, que morreu moço, s. g.

6 – D. Izabel Gramaxo, mulher de Anto-

(verso)

Antonio Favella de Vasconcellos, filho de Fernão Favella de Vasconcellos, e de sua primeira mulher D. Francisca de Bettencourt, em titulo de Favellas, § 2.º, N.º 4.º.

6 – D. Maria de Mello, que nasceu em Abril de 1581, e se recebeu em 13 de Fevereiro de 1601 com Manuel Homem d’a Camara, filho de Gaspar Homem e de D. Filippa d’a Camara, em titulo de Homens Gouvêas, § …, N.º …, s. g.; e casou 2.ª vez com Manuel de Figueiró Dutra a 23 de Junho de 1612, filho de Manuel de Figueiró Dutra, e de D. Violante Teixeira de Menezes, em título de Figueirós, § 2.º, N.º 4.º.

§ 5.º

N.º 4 – Rui Leme, filho 3.º de Antonio Leme, § 1.º, N.º 3.º, morreu em 4 de Novembro de 1566, e jaz n’a Capella d’o Senhor n’a Sé d’esta Cidade.

Casou com Leonor Vieira.

De quem houve

5 – Martim Leme, que foi para a Índia em o anno de 1515 com Lopo Soares, onde morreu.

5 – Antonia Leme, mulher de Francisco de Araujo, Vêdor d’a Casa de Bragança.

Casou 2.ª vez em Lançarote, onde viveu alguns tempos com Maria Franca Cabreira, a qual morreu n’esta Ilha em 3 d’Abril de 1591, e jaz com seu marido.

De quem houve

5 – Diogo Cabreira Leme.

(fol. 107)

5 – Rui de Barros Leme.

5 – Pedro Cabreira Leme.

5 – Maria d’Uzeda, mulher de Henrique de Bettencourt, em Lançarote.

5 – D. Leonor Leme, mulher de João Perdomo de Bettencourt, em Lançarote.

5 – Leonor Cabreira.

5 – Catharina de Barros Leme, mulher de Fernão de Macedo, e fôrão paes de:

6 – D. Joanna de Barros, mulher de Alvaro de Ornellas, de Camara de Lobos.

=

http://nesos.madeira-edu.pt/

http://www.bprmadeira.org/index_digital.php?IdSeccao=103

http://purl.pt/index/geral/PT/index.html

http://www.bprmadeira.org/imagens/documentos/File/bprdigital/ebooks//Historia_Litvol_I.pdf


Quando estes CDs são inseridos na gaveta do leitor de CDs de qualquer computador, fazem abrir automaticamente o Internet Explorer (ou o navegador padrão)  e a navegação funciona exatamente da mesma forma que num website. Mas não é necessário que o computador esteja conectado à Internet e a velocidade de navegação é muito superior à comum da Web.


AS SAUDADES DA TERRA 
de Gaspar Fructuoso 

  Gaspar Fructuoso, o primeiro historiador micaelense, viveu entre 1522 e 1591 e produziu o manuscrito ‘As Saudades da Terra’ no terceiro quartel do século XVI.

As imagens .GIF, que reproduzem as páginas do livro que contém a transcrição destes manuscritos, foram organizadas como em um site da web, onde a navegação entre as páginas é bastante intuitiva, e então gravados em CD-R.

Um conjunto completo de imagens .TIF com o dobro da resolução da imagens .GIF, e que são ideais para definir detalhes não muito claros das imagens .GIF, também foi incluído neste CD-R.

Confira a apresentação e o Índice com o conteúdo deste livro, aqui nesta página de demonstração.

Preço do CD-R contendo o ‘As Saudades da Terra’, incluindo remessa pelos Correios tipo ‘Encomenda Normal’  (sete a dez dias para a entrega):
R$ 28,00 (Vinte e oito reais).

Pedidos neste email: fructuoso@genealogias.org

Topo


HISTORIA INSULANA DAS ILHAS A PORTUGAL SUJEYTAS NO OCEANO OCCIDENTAL
de Antonio Cordeyro 

  O livro ‘Historia Insulana’  foi publicado em 1717 e conta a história das ilhas portuguesas no Atlântico, além de conter muitas citações genealógicas.

As imagens .GIF que reproduzem as páginas deste livro foram organizadas como em um site da web, onde a navegação entre as páginas é bastante intuitiva, e então gravados em CD-R.

Um conjunto completo de imagens .TIF com o dobro da resolução da imagens .GIF, e que são ideais para definir detalhes não muito claros das imagens .GIF, também foi incluído neste CD-R.

Confira a apresentação e o Índice com o conteúdo deste livro, aqui nesta página de demonstração.

Preço do CD-R contendo a ‘Historia Insulana’, incluindo remessa pelos Correios tipo ‘Encomenda Normal’  (sete a dez dias para a entrega):
R$ 28,00 (Vinte e oito reais).

Pedidos neste email:  insulana@genealogias.org

Topo


NOBILIÁRIO DA ILHA DA MADEIRA 
de Henrique Henriques de Noronha 

  Este nobiliário foi escrito em 1700 e conta a genealogia das famílias que passaram a viver na Ilha da Madeira depois do seu descobrimento em 1420.

As imagens .JPG, que reproduzem a transcrição em letra de forma das páginas manuscritas deste nobiliário, foram organizadas como em um site da web, onde a navegação entre as páginas é bastante intuitiva, e então gravados em CD-R.
Confira a apresentação e o Índice com o conteúdo deste livro, aqui nesta página de demonstração.

Preço do CD-R contendo o ‘Nobiliário da Ilha da Madeira’, incluindo remessa pelos Correios tipo ‘Encomenda Normal’  (sete a dez dias para a entrega):
R$ 28,00 (Vinte e oito reais).

Pedidos neste email:  madeira@genealogias.org

Anúncios

Uma resposta to “0 o Leme na Nobiliarquia Nobiliário Genealogia da Ilha da Madeira, não tem Antão Leme”

  1. Carlos S. Silva Says:

    Olá! gostaria de comprar o cd com o nobiliário de madeira de henrique henriques de noronha. Eu mandei um e-mail duas semanas atras mas não foi respondido. Nem precisa mandar por CD, pode me mandar por download ou por file share mesmo. Me manda sua conta para depósito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: