Bernardo Homem da Silveira – o tronco dos Bernardes da Silveira, antepassado de Antônio Carrilho de Castro

Bernardes da Silveira:

São os descendentes de Bernardo Homem da Silveira.

Este site tem muitos inventários e testamentos de nossa família:

http://www.documenta.ufsj.edu.br/modules/wfdownloads/viewcat.php?cid=9

==

http://reocities.com/heartland/1074/bernardo.htm

http://www.familiasilveira.rg3.net/http://www.destinazores.com/pt/pico.php

———————————————————————

Morro do Ferro, Oliveira-MG onde BERNARDO HOMEM DA SILVEIRA viveu e morreu:

Amamos Morro do Ferro:

RESUMO nº 01: Aqui há dúvidas… quanto a Maria Joaquina ser filha de Ana Vitória ou ser filha de outra Maria Joaquina, também filha de Bernardo Homem da Silveira. É preciso conferir de novo o  Testamento em São João del Rey do padre João Bernardes da Silveira e os mapas de população. Maria Joaquina dá a idade de 40 anos em 1827, teria nascido em 1887.

BERNARDO HOMEM                É PAI  DE   ANA VITORIA

ANA VITORIA          É MAE DE   MARIA JOAQUINA

MARIA JOAQUINA                 É MAE DE   SIBILA

SIBILA                                      É MAE DE   MARIA BERNARDES

MARIA BERNARDES              É  MAE DO  BOIADEIRO TOTONHO

BOIADEIRO TOTONHO           É PAI   DO  DÓRO

Sim,  O BOIADEIRO TOTONHO CARRILHO  casou-se com uma  BISNETA do CAPITAO DOMINGOS, de nome MARIA TEODORA DE CASTRO, que foi mãe do Dóro.

===

AQUI VOCÊ VAI LER SOBRE A NOSSA MARAVILHOSA AVÓ:

   SIBILA BERNARDES DA SILVEIRA que com seu primo em 4º grau, JOSÉ MANOEL DA SILVEIRA teve MARIA BERNARDES DA SILVEIRA, mãe do boiadeiro ANTONIO CARRILHO DE  CASTRO.

===============================================

AQUI VOCÊ VAI LER SOBRE A NOBRE FAMILIA DOS BERNARDES DA SILVEIRA , pioneiros em UBERABA-MG.

O TRONCO desta honrada Família foi a figura veneranda do:

CAPITAO BERNARDO HOMEM DA SILVEIRA.

Bernardo, um guardador de rebanhos na Ilha do Pico, é o tronco de todos os “Bernardes da Silveira” do Brasil.

BERNARDO HOMEM DA SILVEIRA casou-se com MARIANA FRANCISCA DO BELÉM,  ambos são açorianos;

Batismo de Mariana Francisca do Belém:

=======

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ilha_do_Pico

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lajes_do_Pico

http://pierre.inazores.com/pico.htm

http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&q=%22bernardo+homem+da+silveira%22&meta=

=====================

Bernardo Homem da Silveira nasceu aos 20 de maio de 1725, no Logar da Cruz do Redondo, na Freguesia da Virgem Nossa Senhora da Piedade da Ponta, Vila das Lajes, Ilha do Pico, Arquipélago dos Açores, Portugal.

Era filho de João Gonçalves D´Areia e Maria da Esperança.

Eis o assento de seu batizado:

 “Bernardo filho de João Gls Areia e de sua mulher Maria da Esperança naturais e fregueses desta Paroquial Igreja da Virgem NS da Piedade da Ponta, termo da Vila das Lajens da Ilha do Pico e moradores na Cruz do Redondo, lugar desta freguesia, nasceu aos 20 dias do mês de maio da era de 1725 anos e foi batizado nesta Igreja de seus pais, aos 22 dias do dito mês e ano por mim Francisco Álvares da Borba, vigário desta Igreja. Foram padrinhos Pedro de Fraga e Bárbara da Conceição, filhos de Frco. de Fraga e Maria Álvares, naturais e fregueses desta sobredita paróquia, estiveram testemunhas presentes o soldado Antônio Vargas Machado e Soldado Caetano da Costa Leal e para constar fiz este termo que assinei die, mense et anno ut supra”.

==================================

A vida de Bernardo, em sua pátria, com certeza não oferecia grandes possibilidades. Seus pais eram pacatos lavradores, proprietários de vinhas e algumas reses, conforme relatou Manoel Pereira da Rosa, seu conterrâneo, no processo de habilitação do padre João Bernardes da Silveira, em 1779:

“que conheceu na Ilha do Pico, sua pátria, a João Gls D`Areia e sua mulher Maria da Esperança ((pais do  Bernardo Homem)) por alcunha Maria Santa, avós maternos do habilitando João Bernardes da Silveira, pessoas que viviam de suas vinhas, lavradores que eram, na mesma freguesia donde ele testemunha era natural (…) conhece e conheceu na sua Pátria o dito Alferes Bernardo Homem da Silveira por serem vizinhos, em muitas vezes se encontravam no campo pastorando seus rebanhos” .

Sou um guardador de rebanhos.

O rebanho é os meus pensamentos

E os meus pensamentos são todos sensações.

Penso com os olhos e com os ouvidos

E com as mãos e os pés

E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la

E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor

Me sinto triste de gozá-lo tanto.

E me deito ao comprido na erva,

E fecho os olhos quentes,

Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,

Sei a verdade e sou feliz.                         (FERNANDO PESSOA).

Assim, BERNARDO HOMEM DA SILVEIRA deve ter vindo muito jovem para o Brasil, embora não se tenha conseguido precisar com exatidão a época. Mas, sabe-se que, chegando a Minas, seguiu a trilha dos milhares de aventureiros que aportaram nessas paragens: a busca pelo ouro. Parece ter tido sucesso na atividade de garimpagem de ouro e como mercador, mas não persistiu nessas atividades.

Buscou rumos mais sólidos para sua vida: adquiriu uma fazenda em Morro do Ferro perto de Oliveira-MG, casou-se e obteve, sucessivamente, as patentes de alferes e capitão. Nesse sentido, são esclarecedores os depoimentos de algumas testemunhas no mesmo Processo de Habilitação de Gênere do Padre João Bernardes da Silveira:

“… conheceu o Alferes Bernardo Homem da Silveira nestas Minas, primeiramente vendendo ouro lavrado e depois com sua fazenda e daí passou-se, depois de casado, a lavrador, como se acha com fábrica nesta freguesia…” (Miguel Leal do Couto)

“conhece o Alferes Bernardo Homem da Silveira, sendo mercador, agora roceiro” (Amaro de Freitas Almada, natural da Vila do Porto, Ilha de Santa Maria).

O casamento de Bernardo Homem da Silveira ocorreu na Matriz de Prados aos 27 de novembro de 1752, quando tinha, então, 27 anos de idade:

“Aos 22 dias do mês de novembro de 1752, Nesta Igreja Matriz de N.S. da Conceição dos Prados, de manhã, sendo feitas as denunciações na forma do Sagrado Concílio e constituições deste Bispado, nesta dita Igreja, em cuja freguesia os contraentes são moradores, em minha presença e das testemunhas abaixo assinadas, se casaram em forma eclesiástica solenemente por palavras de presente Bernardo Homem PIMENTEL(?) e Mariana Francisca de Belém, ele natural da Ilha do Pico e batizado na Freguesia de NS da Piedade, Bispado de Angra; ela da freguesia de NS da Assunção da Vila do Porto, Ilha de Santa Maria do dito bispado, logo lhe dei as bênçãos nupciais conforme os ritos da Santa Madre Igreja e para constar fiz este assento era ut supra – o vigário colado Manoel Martins de Carvalho”.

Curiosamente, o sobrenome de Bernardo, nesse assento, aparece como Pimentel. Terá sido um engano de vigário ao redigir o termo, ou teria Bernardo homenageado algum antepassado, como era costume àquela época?

Aliás, o sobrenome Silveira, como visto no assento de seu batizado, não era o de seu pai, João Gonçalves D`Areias, nem o de sua mãe, Maria da Esperança. Na verdade, o sobrenome Silveira lhe veio do avô materno, o Capitão Antônio (Homem) da Silveira, conforme assento de batismo de Maria da Esperança:

“Em os dezenove dias do mês de agosto de 1687, digo 1688, batizei a Maria, filha do Capitão Antônio Silveira e de sua mulher Cecília Pereira. Foram padrinhos Alferes Francisco Machado Fagundes, freguês da Matriz da Vila das Lajens, e Ana Monteira, filha de João Quaresma, freguês da Igreja de Santa Barbara das Ribeiras, e para constar fiz este termo, o vigário Mel. Cardoso Machado” A esposa de Bernardo, Mariana Francisca de Belém, era natural da Ilha de Santa Maria, nascida aos 20 de setembro de 1728:

Mariana Francisca, filha legítima de José Andrade e sua mulher Maria da Conceição, naturais desta Matriz de N.S.da Assunção e moradores na Ribeira de São Domingos, termo desta Vila, nasceu aos 29 dias do mês de setembro da era de 1728 anos, foi batizada nesta dita Matriz paroquial de seus pais por mim José de Andrade, cura desta Matriz, em os três dias do mês de outubro da dita era supra, foi padrinho Mel. Curvello de Magalhães, morador em Rosa Baixa e Mariana da Vitória, recolhida no recolhimento de NS da Conceição, e por ela assistiu seu pai Cristovam de Almada, morador nesta vila, todos naturais desta Matriz. Foram testemunhas Melchior de Saa e Cristovam de Almada, morador nesta vila, de que para constar fiz este termo que assinei era ut supra, cura José de Andrade”.

Mariana Francisca de Belém veio para o Brasil, igualmente muito jovem, com seus pais, José de Andrade Braga e Maria da Conceição. Estes eram aparentados entre si e o casamento deles foi realizado dia 23 de fevereiro de 1726 na Matriz de Nossa Senhora de Assunção, Ilha de Santa Maria, dispensados de 3o. e 4o. graus de consangüinidade. José de Andrade Braga era filho de Miguel de Andrade Braga e Ângela de Magalhães.

ACENTO DE CASAMENTO DE MELCHIOR PACHECO E ANA DE MAGALHÃES:

De acordo com depoimento de Paulino de Andrade, “procurador de causas” (advogado), de 64 anos de idade em 1762, no processo de habilitação do Padre João Bernardes da Silveira, eles eram descendentes de nobres famílias da Ilha de Santa Maria:

“disse que a dita Ângela de Magalhães, mãe do justificante, era filha legítima de Manoel Curvello de Magalhães e de sua Mulher dona Francisca de Parada, descendentes de nobres famílias desta Ilha (…) disse que a razão que tem para certificar o que tem jurado é por conhecer as ditas linhagens e por papéis que tem tirado por suas próprias mãos por traslados de habilitações que nestas ilhas se tem tirado no juízo”

O Dr. Djalma Garcia Campos, advogado e historiador/genealogista, fez um apanhado da vida de Bernardo Homem da Silveira, no seu livro Iguatama-História e Genealogia, destacando a compra de uma fazenda em 27 de abril de 1770, que era de Manoel de Souza Pacheco, localizada na Paragem de São João Batista, na Freguesia de Santo Antônio (Tiradentes), na Comarca do Rio das Mortes; a obtenção da patente de Capitão de Cavalaria, em 24 de março de 1787.

Finaliza, dizendo que em 1798, aos 73 anos de idade, Bernardo findou os seus dias naquela fazenda, sendo sepultado no interior da capelinha de São João Batista.

Acento de Casamento de José de Andrade e Maria da Conceição:

=======================================

Nas disposições de sua última vontade, nomeou os seus filhos, a saber:

1- Padre João Bernardes da Silveira:  Pode-se dizer, com segurança, que Bernardo Homem da Silveira realizou o sonho dos milhares de portugueses que vieram buscar fortuna no Novo Mundo. Colaborou na consolidação do povoamento de nosso Estado, deixando para a posteridade exemplo de persistência, dedicação ao trabalho e religiosidade.

2.- José Bernardes da Silveira, casado com Ana Gonçalves da Cruz.

3.-Francisco Bernardes da Silveira c/c Rita Paim Pamplona de Menezes e Vascolncellos,   e ?, em segundas núpcias, com Francisca Romana da Silva?

4.- Antônio Bernardes (Joaquim) da Silveira.

5.- ANA VITÓRIA DO SACRAMENTO c/c Manoel da Silva Porto –

Essa Ana ou a seguinte 6- Mariana é mãe de MARIA JOAQUINA DA SILVEIRA, avó de Sibila,  bisavó de MARIA BERNARDES DA SILVEIRA que c/c  o Alferes ANTONIO CARRILHO DE CASTRO, que é o pai do boiadeiro Antônio Carrilho de Castro Filho. Mas provavel ser Ana Vitória pois o Silva Porto era de Formiga onde Maria Joaquina morava com o Tenente Joaquim Alves Gondim, lá faleceu em 1816 proprietário da Fazenda Silva Porto, e é o que consta no testamento do padre João Bernardes da Silveira que será novamente conferido.

6.- Mariana Francisca da Silveira c/c Capitão Joaquim da Silva Leão.

7.- Bernardina Joaquina da Silveira c/c Matheus Gonçalves da Costa.

8.- Genoveva Maria da Silveira c/c Manoel Martins Parreiras.

9.- Manoel Bernardes da Silveira c/c JOANA (Elena?) Rodrigues PEREIRA (nossos avós). Eles são os pais de JOAQUINA BERNARDES DA SILVEIRA.  São avôs do Alferes ANTONIO CARRILHO DE CASTRO, que é pai do boiadeiro Antônio Carrilho de Castro Filho. ESTA DESCENDENCIA É CERTA, AS DATAS DOS MAPAS DE POPULAÇÃO E DE BATISMOS CONFEREM, ALEM DO TESTAMENTO DO PADRE JOÃO BERNARDES DA SILVEIRA EM QUE ELaS SÃO MENCIONADOS. O testamento está no Museu Regional de São João del Rey.

10- Ana Felícia:

11- Maria Joaquina da  Silveira c/c Gabriel Gonçalves Montijo.

=======================================

Nas regiões sul e oeste de Minas, principalmente, vivem hoje centenas de descendentes do destemido e empreendedor açoriano Capitão Bernardo Homem da Silveira. Ter um antepassado como ele é motivo de muito orgulho e incentivo a que se dê continuidade ao ideal de evolução e progresso de nossa sociedade.

============

O filha do Capitão Bernardo Homem da Silveira, chamado Ana Vitória do Sacramento se casou com Manuel da Silva Porto, e teve entre outros filhos, a  MARIA JOAQUINA DA SILVEIRA.

MARIA JOAQUINA DA SILVEIRA, se casou em Formiga-MG, por volta de 1.800, com Joaquim Alves Gondim, e se transferiram para UBERABA-MG, em 1820, morando na Rua Municipal, que fica  proxíma ao largo da Matriz velha e hoje se chama Rua Manoel Borges, e também próximo onde seria construido pelo CAPITAO DOMINGOS, a Casa de Câmara e Cadeia de Uberaba-MG.

Vieram junto com os parentes Alexandre Rodrigues Gondim e o Manoel Nanzienzano da Silveira, Lisarda Bernardes da Silveira casada com JOão crisostomo de Castro e Tarquelina Bernardes da Silveira.

E suas terras eram no Sítio das Toldas, na Fazenda Cachoeira dos Correia.

As Toldas eram originariamente do Tristão de Castro, que doou o Patrimônio para a criação da Igreja Matriz, dando origem à Freguesia de Santo Antônio e São Sebastião do Uberaba.

As Toldas e a Cachoeira ficam, hoje, na estrada que vai de Uberaba para o Distrito da Baixa e para o Distrito Industrial.

A casa de Fazenda das Toldas tinha até esculturas de madeira na varanda.

=============

Viviam ali nas Toldas  também, o Barão de Itaverava e seu irmão:  o Coronel José Manoel da Silveira, natural de PASSA TEMPO – MG.

PASSA TEMPO – MG fica ao lado da Freguesia de Santana do Jacaré (Morro do Ferro), perto de Oliveira –  MG, onde viveu o BERNARDO HOMEM DA SILVEIRA.

============================================

Bem: MARIA JOAQUINA DA SILVEIRA morreu em 1827. SIBILA tinha apenas 8 anos.   Ficaram vários orfãos.

JOAQUIM ALVES GONDIM, viúvo amasiou-se com uma mulher escandalosa, e certa vez, Sibila foi para casa de sua irmã mais velha já casada.  Joaquim Alves então procurou por toda cidade, de espada na mão…. Faleceu em Uberaba-MG em 1837.

O caso foi um escândalo em Uberaba-MG. O processo está anexo ao inventário de Maria Joaquina.

Os gondim são de Itapecirica-MG, construtores da Picada de Goiás.

===============================================

Aos 17 anos, em 1837, Sibila, solteira, foi mãe , lá nas Toldas, de MARIA BERNARDES DA SILVEIRA.

O PAI de MARIA BERNARDES É CAPITAO JOSE MANOEL DA SILVEIRA, irmão do Barão de Itaveraba.

Ele teve  9 filhos com 5 mulheres solteiras.  Era filho de Manoel José da Silveira e Maria José Pacheco.  Viveu depois  em Itumbiara-GO  e  em Prata – MG.           MORREU SOLTEIRO.

==

O barão de ITABERAVA foi Alexandre José da Silveira que faleceu em S.João Del Rei em 14 de Junho de 1880. Comandante Superior da Guarda Nacional, foi várias vezes membro da Assembléia Provincial da Província de MG. Era Comendador da Imperial Ordem de Cristo.

Adenda

Alexandre José da Silveira – agraciado com o título ( Dec 01.12.1854 ) de Barão de Itaberava. Título de origem toponímica. Coronel. Falecido a 14.06.1880 em S. João d´el Rei -MG. Residiu muito tempo em Uberaba, onde foi juiz municipal e de órfãos. Militou na política, sendo vereador na primeira Câmara Municipal da mesma vila por ocasião de sua instalação a 07.01.1837.

Colaboradora

Regina Cascão – Fonte: Dicionário das Famílias Brasileiras, de Carlos Eduardo Barata e AH Cunha Bueno – Verbete: Itaberava, Barão.

=====

SIBILA casou-se 2 vezes mas não teve mais filhos.  Faleceu em 1872, em Uberaba.

=========================================

Um filho de JOSE MANUEL DA  SILVEIRA chamado ANTONIO JOSE DA SILVEIRA, casou-se com uma filha de MARIA BERNARDES.

Sim, Antonio Jose da Silveira casou-se com TARQUELINA CANDIDA DE CASTRO.

=====================

Veja mais sobre MARIA BERNARDES DA SILVEIRA na página CARRILHO DE CASTRO, neste site.

http://br.geocities.com/fernandomcvbr/bhsilveiratest.html

=

Inventário de Maria Bernardes da Silveira: Aqui aparece o drama de Sibila sua filha.

=

=

=

=

=

=

=

=

60 Respostas to “Bernardo Homem da Silveira – o tronco dos Bernardes da Silveira, antepassado de Antônio Carrilho de Castro”

  1. Benedito Machado Gomes Says:

    Entrei neste site por acaso, não sei explicar como e nem porque,apezar
    de ter nascido nesta cidade. comecei a ler a genealogia da familia Silva
    e Oliveira, ate ai nada demais, fui descendo fui até o fim. Algo me chamou minha atenção, porque conheço muito bem a fazenda das toldas,
    cujo propietário era Osaorio Adriano da Silva, que era muito amigo do meu avô, que nasceu nesta fazenda por volta de 1874,padrinho de batismo do meu pai nascido em 1914 nesta fazenda. Que nasceu este que vos escreve em 1939,e que parte desda fazenda pertencia a um tio
    meu, Orozimbo Machado,pergunto Osorio Adriano da Silva faz parte dessa genealogia? Pelo fato de ser um Silva. Obrigado pela atenção.

  2. Newton Herculano Carneiro Pinto Says:

    TBM entrei neste site ao estar pesquisando por dados genealogicos , encontrei nele referencias a Francisco Machado Fagundes, este relacionado em minha arvore genealogica , sou neto de Ottilia Floriano Machado Fagundes,bisneto de Ismael Floriano Machado Fagundes tatatraneto de Florniano Machado Fagundes,, Francisco de quem tbm descendo e todos od Machado Fagundes , poderao ser consultados em minha arvore.
    Newton

  3. denise Says:

    Estou procurando por parentescos da familia bernardes silveira de uberaba,a unica coisa que sei e que meu avo paterno se chamava jose pinto da silveira casado maria abadia ferreira ,sei apenas que adiquiriu o sobrenome silveira por uma madrinha,mas que o sobrenome seria bernardes.Donos de uma tabacaria em uberaba seculo 19 ,seculo 20.Quem souber alguma informacao entrar em contato – denisecarmo@hotmail.com

    • capitaodomingos Says:

      ok. vou procurar nos inventarios quando for a uberaba. a familia bernardes da silveira é muito grande. procure tambem no family search que colocou online os livros de casamento de uberaba.

  4. Newton Herculano Carneiro Pinto Says:

    Senores e Sra.

    A praticamente um ano estive nesta pagina, e hj retorno, e vou falar um pouco sobre meus avos e bisavos, por terem eles residido em Uberaba , tenho cartas e fotografias da epoca.
    Meu avo foi militar ,temos em Porto Alegre uma rua que recebeu seu nome em sua homenagem Gen. Antonio Carneiro Pinto com os dezeres na placa Participante da comissao Rondon.por ter sido expedicionario com Candido Rondon, por ocasiao do lancamento da primeira linha telegrafica extrategica ,do Mato Grosso, que foi do Mato Grosso ao Amazonas, fato contado e relatado em sua caderneta de oficial do exercito,onde participou de tantos fatos e momento s da historia brasileira, meu avo General Antonio Carneiro Pinto foi homenageado tbm pela Universidade Federal de Santa Catarina em seu projeto Fortes e Fortalezas no Mund, sendo ele um personagem historico a nivel de pesquisa mundial ele era natural da cidade de Anicuns Goias,,foi casado com Ottilia Floriano Machado Fagundes natural da cidade de Itaqui no RS, filha de Ismael Floriano Machado Fagundes minha avo. Seus pai Saturnino Benigno Pinto e sua mae Josephina Augusta Carneiro da Fonseca, filha de Thereza Josephina Bueno,poderia ficar escrevendo por horas e linhas mas fico poraqui, caso alguem tenha algum dado por favor gostaria de recebe los. Saturnino Benigno Pinto foi vereador em Goias.
    Abs .
    Newton Herculano Carneiro Pinto
    nhcarneiropinto@yahoo.com.br
    Porto Alegre – RS

  5. Newton Says:

    Capitao.
    Gostaria de saber , quais as possibilidades e como proceder para uma busca sobre a filhacao de meus bisavos, meu avo e naturar da cidade de Anicuns, poderia sim envialhe apos scanear alguns documento para fins genealogicos, meu s bisaavos Saturnino Benigno Pinto, consta informacao sobre ele no almanaque de Goias , procuro a filiacao de minha bisavo Josephina Augusta Carneiro da Fonseca, pais do meu a vo Gen. Antonio Carneiro Pinto,um militar de grandes feitos e naturalmente um orgulho para o estado de goias e o Brasil pela sua historia.
    abs
    Newton Herculano Carneiro Pinto
    Porto Alegre -RS

  6. Edmur Bernardes Says:

    Capitão, fiquei maravilhado com a história do Bernardo Homem da Silveira. Pelo que entendi ele é o início da família Bernardes em Minas. Meu bisavo José Bernardes da Silva (Juca Bernardes), saiu do Triangulo Mineiro por volta de 1880, cruzou o Rio Grande e foi pioneiro na fundação de Patos (hoje Paulo de Faria-SP). Meu avõ chamava João Bernardes da Silva (João Juca) e meu pai Edmundo Bernardes. Seriamos descendentes do Bernardo da Silveira?
    Um Forte Abraço.
    Edmur Bernardes
    São José do Rio Preto – SP

    • capitaodomingos Says:

      procure achar certidão de óbito para ver onde ele nasceu exatamente. é o primeiro passo. com sorte o óbito pode dar nomes dos pais dele.

  7. Edmur Bernardes Says:

    Estarei visitando Paulo de Faria – SP ainda esta semana, e vou procurar a certidão de óbito do José Bernardes da Silva. Já obtive uma informação que acho importante, ele veio de Pirajuba – MG.

  8. Edmur Bernardes Says:

    Capitão, estou de posse da certidão de óbito do meu avô João Bernardes da Silva, onde consta que ele nasceu 1892 em Dores de Campo Formoso (atual Campos Florido-MG), Filho de José bernardes da Silva. Estarei em breve visitando essa cidade para nova pesquisa.

    • capitaodomingos Says:

      descobri que existiram bernardes da silva em passos-mg em 1858

    • pedro tiago bernardes Says:

      GOSTARIA DE ENTRAR EM CONTATO COM EDMUR POIS SOU BERNARDES DE PIRAJUBA MG .

    • Crislaine Bernardo Says:

      Olá Edmur Bernardes. Tbm estou tentando montar a árvore da minha família. O pai do meu pai era de campo florido/MG. O nome dele era Jeronimo Bernardes da Silva nascido provavelmente em 1909 ou 10. O nome do pai era José bernardes da silva casado com Sebastiana Francisca de Jesus. E tudo que eu tenho. Estou aguardando retorno do cartório local com mais informações. Caso possua mais algum dado da cidade, pode compartilhar????

  9. Edmur Bernardes Says:

    Pode ser que tenham migrado de passos para a região de Uberaba, ou algum Silva tenha casado com uma Bernardes.
    Agora minha procura é por notícias ou documentos do meu bisavô José Bernardes da Silva que deve ter nascido por volta 1862.

    • Cristiane Says:

      Ola Edmur, meu bisavô também se chamava José Bernardes da silva, pai de Jerônimo Bernardes da silva (nascido em campo florido/mg).Atualmente estou ajudando meu pai(filho do Jerônimo) a reecontrar seus familiares (pois ele era criança quando o pai faleceu e acabou perdendo o contato com os familiares). Gostaria de entrar em contato com vc.
      Grata

      • Edmur Says:

        Olá Cristiane.Estou realizando várias pesquisas em Campo Florido e Pirajuba. Com certeza somos parentes, temos o mesmo bisavô. Me envie um email para podermos trocar as informações. bernardesedmur@gmail.com

      • Cassiano Says:

        Meu bisavô se chamava Lindolfo Bernardes Da Silveira morreu em formiga MG teve um filho chamado Izaltino Bernardes Da Silveira meu pai que faleceu em Passis MG ,agora minha procura e por notícias ou documentos… se alguém souber de algo me avise !

  10. Cleusro Oliveira Says:

    Temos varios registros em comuns, pois sou descendente de Manoel Jose da Silveira e Maria Jose Pacheco, tambem sou descendente de Bernardo Homem da Silveira, nasci em Oliveira/MG, conheco as cidades de Passatempo e Morro do Ferro, possuo diversos registros de inventarios e testamentos e algumas pesquisas efetuadas nas paroquias das cidades citadas. Gostaria de manter contato para troca de informações da genealogia Silveira.

    • capitaodomingos Says:

      copiei e mande para eu publicar. para todos verem esta maravilha.

    • lucas Says:

      Também sou natural de Oliveira e, há pouco tempo, descobri que sou descendente de Silveiras tanto pelo lado materno quanto paterno. Você teria alguma informação sobre Augusto Silveira, fazendeiro que viveu na região de Oliveira, mais exatamente, na localidade conhecida como Morro Alto? Fui informado por um parente meu que meu trisavô Mizael da Silveira era irmão dele e, caso isso se confirme, gostaria de saber mais sobre suas origens. De fato, meu trisavô faleceu ainda jovem e minha trisavó juntamente com os filhos pequenos foram acolhidos por Augusto e sua esposa e moraram em uma de suas casas, onde os filhos foram criados. Se puder me fornecer alguma informação, ficaria agradecido.

      • capitaodomingos Says:

        parabéns. leia a pagina Inventario de José de Andrade Braga, lá tem a origem destes silveira. leia historia de oliveira. parabens, divulgue o site. escreva sempre, mande mais informações.

    • Whrichter Says:

      Caro Cleusro, os meus antepassados são do Morro do Ferro e Prados, tenho com final de linha meu 5º avó Capitão Antonio Joaquim da Silva (*aprox.1765, †?), que também aparece como Antonio Joaquim da Silveira, seria este filho de Bernardo Homem da Silveira ? o que vc tem de inventários ? whrichter_br@yahoo.com.br

  11. lucas Says:

    Sou natural de Oliveira-MG e minha família pelo lado paterno é de Morro do Ferro. Descobri seu site por acaso, ao digitar no Google “genealogia Morro do Ferro” para ver se havia alguma pesquisa genealógica que ao menos mencionasse essa localidade. Me interesso muito por genealogia, mas, ainda não tive oportunidade de proceder a uma pesquisa em cartórios e registros de igrejas, algo que pretendo fazer tão logo seja possível. Me chamou a atenção o nome “Matheus Gonçalves da Costa” casado com Bernardina Joaquina da Silveira. Meu tetravô viveu e possuía terras nos arredores de Morro do Ferro, se chamava Matheus, muito provavelmente, seu sobrenome era Gonçalves da Costa, pois, sei de um parente desse lado da família (seu filho, se não me engano) que se chamava Eugênio Gonçalves da Costa. Meu avô herdou deles o sobrenome Gonçalves. Cronologicamente, não é possível que se trate da mesma pessoa , pois, meu avô nasceu em 1931), mas, considerando que Matheus não era um nome tão comum antigamente e, frequentemente os filhos recebiam nomes de antepassados, principalmente, avós, o parentesco com o genro de Bernardo Homem da Silveira é possível. Trata-se de algo que só poderei esclarecer quando conseguir mais dados sobre minha ascendência, mas, caso você tenha alguma informação adicional sobre o casal Bernardina Joaquina da Silveira e Matheus Gonçalves da Costa que possa compartilhar comigo, ficaria muito agradecido. Parabéns pelo site. Ainda sou principiante em pesquisa genealógica, mas, sempre aprendo algo ao conhecer o trabalho de outros sobre esse assunto tão interessante.

    • capitaodomingos Says:

      Obrigado. É importante o que diz. Veja neste site lá embaixo o inventario do Andrade Braga, tem muitos bernardes. Leia sobre eles tambem no livro do gomide borges, sobre candeias.
      Tem Gonçalves da Costa tambem na pagina sobre os carrilho de castro, tem um deles em Uberaba. É provavel que foi junto com os Silveira para Uberaba. Aos poucos vamos juntando os pontos soltos. Parabens pelo seu interesse. Procure tambem em Historia de Oliveira.

      • lucas Says:

        Muito obrigado pelas informações. Serão muito úteis para fins de comparação quando eu conseguir mais dados sobre o meu antepassado Matheus. Acho possível que minha família seja descendente de Matheus Gonçalves da Costa e Bernardina Joaquina da Silveira. Não sei quando terei a possibilidade de efetuar a pesquisa, mas, caso a hipótese se confirme, vou compartilhar os dados com você.

      • capitaodomingos Says:

        No arquivo de são joão del rey poderá achar inventarios e testamentos de Oliveira. Também lá no padre Paiva lá na matriz do pilar.

      • lucas Says:

        Bom saber disso, pois, moro em São João del-Rei. Mais uma vez, obrigado.

      • capitaodomingos Says:

        OS CASAMENTOS E OBITOS DE OLIVEIRA ANTIGOS,, estão nos livros de Tiradentes (antiga São José del Rey)..

        otimo, estou sem tempo de ir a s.joão del rey e voce podera me ajudar.

        obrigado.

        Em 2012-04-17 23:04,

      • lucas Says:

        Há alguns meses, mencionei a possibilidade de eu ser descendente de Matheus Gonçalves da Costa. Há algumas semanas, consultando um livro de óbitos de Morro do Ferro (no Family Search), descobri que descendo de Silveiras tanto pelo lado materno quanto pelo lado paterno. Ainda me faltam mais informações e minhas obrigações acadêmicas não me permitem dedicar mais tempo a essa pesquisa, por enquanto. A família Silveira é numerosa na região de Oliveira e Morro do Ferro, acho possível que tenha origem em Bernardo Homem da Silveira. Andei lendo alguma coisa sobre os Silveiras dos Açores; Bernardo Homem da Silveira seria, então, descendente do flamengo Willem Van Der Haegen?

        Obrigado pela dica quanto aos registros antigos de Oliveira que se encontram em S. João del-Rei. Aliás, percebi que podem ser acessados por meio de consulta no site FamilySearch. Mais uma vez, parabéns pelo excelente trabalho de pesquisa e, qualquer informação nova, compartilharei com você.

      • capitaodomingos Says:

        provavelmente, porem houve outra leva de silveira para os açores alem dele.sim nos pesquisamos no chf e nos sites do chf.

  12. ERIK ANDRADE Says:

    ESTAVA PESQUISANDO A HISTORIA DO MORRO DO FERRO MG, MEU FALECIDO PAI NASCEU LÁ, SOU DA FAMILIA ANDRADE, O QUE ME CHAMOU A ATENÇÃO NESTAS GENEALOGIAS É QUE APARECE ALGUEM COM ESTE SOBRE NOME, TEM 19 ANOS QUE NAO VOU AÍ, SABERIA ME INFORMAR SE A ATUAL FAMILIA ANDRADE AÍ DO MORRO DO FERRO TEM ALGUMA COISA A VER COM ESTE ANDRADE QUE APARECE NA SUA GENEALOGIA?
    DESDE JÁ AGRADEÇO

  13. Yvany Dias Vila Says:

    Meus tetravós Antonio Joaquim da Silveira e Eulália Ponciana de Jesus, viveram em Bom Sucesso- MG e deixaram lá uma grande decendência. Ainda não consegui encontrar o casamento deles.Será ele, o Antonio Joaquim da Silveira, filho de Bernardo Homem da Silveira? Gostaria de enviar ao Senhor os dados da minha pesquisa. Se o senhor puder me ajudar, ficarei muito grata. Abraços Yvany

  14. Newton Herculano (@NewtonHerculano) Says:

    Senhor.
    Retornando a esta pagina, devido a estar editando um livro para ser impresso nets primeiro semestre e devera ser lancado por ocasiao da feira do livro 2013 em Porto Alegre , fiquei devendo ao senhor, o que me solicitou, assim que puder e dentro do possivel e mais breve estarei atendendo seu pedido , estes documentos hj estao em minha editora, devo estar fora do pais de marco a abril deste ano e no retorno volto a contatar com o senhor.
    forte abraco.
    Newton

  15. Euripedes Says:

    Capitão , mora em Itapagipe-MG sendo 180 km de Uberaba-MG.
    Minha família assina Bernades teria possibilidade dito origem do Bernado Homem da Silveira, pois o ultimo documento que tinha em mãos era reservista do pai da minha Avó em 1922, nesta reservista constava que ele tinha nascido em 1904 no município de Frutal-Mg.

    • capitaodomingos Says:

      sim. muito provável. procure no cartorio de frutal em 1904, e procure o casamento dele tambem. os cartorios têm indices depende tudo da boa vontade deles.

  16. João Vitor Says:

    Por um acaso vi este site, muito bacana mesmo, Moro em Morro do Ferro, meus descendentes são da família, Lima e Machado, ambas de Morro do Ferro, até onde eu sei. Aqui é cheio de pessoas boas, são receptivas e honestas. O distrito é bem antigo né? É localizado em um local de rota, de quem aqui chegava(Brasil) e quem gostava da região, então aqui ficava.
    Já ouvir falar de muitas pessoas que aqui nasceram e depois se mudaram para outras cidades, mas que tem laços com Morro do Ferro.
    A família Silveira é bem numerosa aqui e em Oliveira também, é muito tradicional, assim como a família Leão. Eu li sobre alguém que falou da família Andrade, esta também é muito numerosa aqui e na região, e muito tradicional também.
    Parabéns pela iniciativa Capitão Domingos!

    • capitaodomingos Says:

      sim, tem muito andrade no lindo cemitério de vocês.

    • capitaodomingos Says:

      Sou da Família Andrade, da Silveira várias vezes. E são dois silveira lá. Do Bernardo Homem e do Manuel José da Silveira, ambas do nosso amado Açores. Que como sabe são os Silveira dos açores flamengos.

  17. lim Says:

    Uai!Minha bisa Bernadina Joaquina da Silveira,de Uberaba mãe de Maria roza dos santos!Itumbiara Go!
    Vou fazer a àrvore para vêr se ela é dessa familia

  18. Cassiano Bernardes Says:

    Meu pai neseu em Formica Minas Gerais (Izaltino Bernardes da Silveira ) casou e se mudou para Passos Minas Gerais …Vou fazer a àrvore para vêr se eu dessa familia…

  19. Sr.Mag Says:

    Meu trisavô Manuel Bernardes Pacheco foi casado com Thereza de Oliveira e Silveira, foi fazendeiro na regiao de Jaú-SP, fazenda Araras perto corrego anhumas. Seu cunhado Amancio de Oliveira e Silveira.Deve ter nascido por volta de 1834.
    Qualquer informação é bem vinda mybol@bol.com.br

  20. Sr.Mag Says:

    Thereza de Oliveira e Silveira é irmã de Amancio de Oliveira e Silveira, regiaoi de Dois córregos e Jaú -SP

  21. helia mendonça Says:

    oi pessoal. estou a procura de algo a respeito de meus tataravos maternos.eles sao: inacio florença dos santos maria joana da silveira minha biza era rita angelica da silveira. nascida em 1882.esta foi casada com meu biza saturnino de mendonça ribeiro.eles eram primos.alias, eram dois irmãos casado com duas irmãs. antonio mendonça ribeiro e anna rita de jesus. moro em goiania e se alguem puder me passar qualquer informação eu agradeço

  22. JOSÉ DAVID DA SILVEIRA Says:

    Nostra !!!…. achei o fio da meada, eu sou do Norte de Minas e tudo que foi dito aki sobre o Bernardo H. da Silveira tem haver comigo……pois que, parentes dele (irmãos, etc) no tempo do Tiradentes vieram para o Norte Minas em vista de perseguição politica se embrenharam nos confins da Serra Geral…….

  23. Thayomara Tharlys Silva Diniz Says:

    Me chamo Thayomara e a algum tempo busco referencias a respeito da família da minha avó materna.
    O nome dela era Joaquina Cunha da Silveira (nome de solteira), filha de José Honorato da Silveira.
    Em buscas de rastros, visto que não tivemos muito contato com a família de origem dela, pois ela se tornou evangélica… “crente”… em um tempo que esse fato não era aceito. Me deparei com seu site. Tenho uma história que ela e seus irmãos contavam a respeito do bisavô dela.
    Eles contavam que o bisavô, rompendo com as tradições da época, após a morte da esposa, se amasiou com uma negra que servia a casa, para nós o apelido dela é Miquilina, mas o nome pelo qual havia sido batizada era Negra Honorata, com ela o senhor José Joaquim da Silveira teve dois filhos: João Honorato da Silveira (no caso meu tataravô) e Rita Honorata da Silveira.

    Minha avó era natural de Catalão-GO e o pai dela herdou a Fazenda dos Casados que fica na Divisa de Goiás e Minas.

    • GENEALOGIA SILVA OLIVEIRA Faleiros, Leme, UBERABA-MG FRANCA-SP MADRINHA DA SERRA Says:

      parabéns. excelente história. mande mais dados corretos. idade, local de nascimento e data. temos um roteiro de genealogia. escreva no pesquisar na pagina inicial…. certidões.

  24. cirilo lima ferreira junior Says:

    QUERO SABER SE OS BERNARDES DA SILVA DE COSMORAMA SP VOTUPORANGA SP TRES LAGOAS MS APARECIDA DO TABOADO MS PARANAIBA MS POSSA SER DESCENDENCIA PORTUGUESA E DE BERNARDO HOMEM EM APARECIDA DO TABOADO MS VARIAS SEPULTURAS DE ANTES E DE INICIO DE NASCIMENTO

    1900 DESCRITOS O SOBRENOME BERNARDO DA SILVA E DERIVADOS DESTES SOBRENOMES TANTO SEXO FEMININO E MASCULINO

  25. josé David da Silveira Says:

    AlÔ Cirilo: Posso te afirmar o seguinte: 1°- Todos os Silveiras e os da Silveira são portugueses; Só que, Os primeiros vieram do continente, isto é de Portugal, diretamente para o Brasil; 2°- Uma parte, os “da Silveira” foram para os Açores, antes do descobrimento do Brasil; com a colonização do Brasil, pelos portugueses, muitos aventureiros vieram a procura da terra prometida, fixando em SP, MG, RS, SC, ES e RJ, etc. Pelo que estou sabendo os de MG são descendentes do Bernardo Homem da Silveira, cuja família se dividiu para o triangulo mineiro (farinha podre) e norte de MG fugindo da perseguição política da Vila Rica.

    • GENEALOGIA SILVA OLIVEIRA, Faleiros, Leme, UBERABA-MG, FRANCA-SP, MADRINHA DA SERRA, Três Ilhoas Says:

      não. houve duas levas de silveira para os açores. a primeira é flamenga com o von Hagen que passou o apelido para silveira.

  26. Amana Says:

    Estou encantada com este blog. Meu avô chamava-se Francisco Machado da Silveira Filho, conhecido como Chiquito. era filho do Chiquitão e Mãe Mariquinha (acho que o sobrenome dela era Menezes). Vô Chiquito nasceu ‘no Jacaré’,em Morro do Ferro (Oliveira – MG) e sua fazenda chamava-se JOÃO HOMEM. Casou-se com minha avó Maria José Leão (filha de D. Zulmira Batista de Andrade e Jesus … Leão) e tiveram 11 filhos, todos receberam o sobrenome “Leão Silveira”. Um abraço para vc e muito obrigada por partilhar este trabalho tão rico e interessante.

    • GENEALOGIA SILVA OLIVEIRA, Faleiros, Leme, UBERABA-MG, FRANCA-SP, MADRINHA DA SERRA, Três Ilhoas Says:

      mande nomes para acrescentar

      • Erik Says:

        Amanda, minha família é do Morro do Ferro MG, família Andrade e família Ribas, nasci e moro em SP, no momento não tenho como ir pra lá fazer levantamentos, vc teria parentesco ou informações genealógicas dessas famílias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: