0 2 u Tomé Rodrigues Nogueira do Ó : documento de genealogia e nobreza do seu neto: Marquês de Baependi

http://www.hploco.com/letra_i/ihggi/THOME_RODRIGUES_NOGUEIRA_DO_O.html

MANOEL JACINTO NOGUEIRA DA GAMA (primeiro Marquê de Baependi) neto de Tomé Nogueira.

Carta de Brasil de Armas onde dá antepassados e nobreza de Tomé Nogueira. 

MANOEL JACINTO NOGUEIRA DA GAMA foi lente da Academia Naval da Marinha e Capitão de Fragata da Real Armada; foi um dos dez membros da comissão que elaborou a primeira constituição do Brasil em 1824. Foi Ministro da Fazenda no Império.

ver no site http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/u1504/000001.html

– Ver “Nobiliário de Famílias de Portugal”, Felgueira Gayo, VOL. 28, Título Villasboas, pág 271, $71, N17-18

– Ver “Titulares do Império: Marquês de Baependi” , AGB, VOL. IV, 1942, pág 38 onde apresenta seus descendentes. 

Carta de Brazão de Armas registrada no Livro 6 do Regimento dos Brazoens de Armas da Nobreza e Fidalguia destes Rnos. e suas Coqtas. A F. 370vo. Lisboa, 29 de Agosto de 1798.

Este documento se achava em poder de D. Maria da Gloria Nogueira da Gama Biolchini, neta do Marques de Baependi (orginal em pergaminho) na época da publicação da revista AGB, VOL. IV, 1942, pag 38. Teor do documento :

“D. Maria. Por Graça de Deos Raynha de Portugal e dos Algarves aquem e dalem Mar em Africa Senhora de Guine e da Conquista Navegação do Commercio da Ethiopia Arabia Persia e da India. Faço saber aos que esta Minha Carta de Brazão de Armas de Nobreza e Fidalguia virem que MANOEL JACINTO NOGUEIRA DA GAMA, Cavalleiro profeço na Ordem de S. Bento de Aviz, Capitão Thenente da Minha Real Armada, Lente da Minha Real Academia de Marinha natural da Freguesia de Nossa Senhora do Pillar da Villa de S. João de EL REY Comarca do Rio das Mortes, Bispado de Marianna, me fes petição dizendo que pella sentença de justeficação de sua Nobreza a ella junta proferida, e asignada pello Meu Dezembargador Corregedor do Civel da Corte e Caza da Suplicação o Doutor Victoriano da Silva Freire, sobscripta por Paulo de Almeida Seabra e Silva Escrivão Ajudante do mesmo juizo se mostrava que elle he Filho legítimo de Alferes NICOLAU ANTONIO NOGUEIRA e de sua mulher D. ANNA JOAQUINA DE ALMEIDA DA GAMA. Neto por parte Paterna do Capitão Mor TOMÉ RODRIGUES NOGUEIRA e de sua mulher D. MARIA LEME DO PRADO, Filha legítima de ANTONIO DA ROCHA LEME Capitão Comandante que foi do destrito e Companhia da Capitania de São Paulo e por parte Materna de MANOEL GOMES VILLASBOAS, Primo legítimo de MANOEL DA COSTA VILLASBOAS, Pay de JOSE BAZILIO DA GAMA que foi Offecial da Minha Secretaria de Estado, e de sua mulher D. IGNACIA QUITERIA DE ALMEIDA E GAMA. Bisneto por parte Paterna de ANTONIO NOGUEIRA e de FRANCISCA FENANDES DO VALLE e por parte Materna do Capitão LUIZ DE ALMEIDA e de sua mulher D. HELENA JOZEFA DA GAMA, os quais foram Pays de D. QUITERIA IGNACIA DA GAMA, May do referido JOZE BAZILIO DA GAMA, a quem se passou Brazão de Armas com as do apellido de Gama, aos des dias do Mez de Julho de 1771. Os quais seus Pays, Avos, e mais Ascendentes foram pessoas muito nobres das familias dos apellidos de Nogueiras, e Gamas que neste Reyno são Fidalgos de Linhagem, Cotta de Armas, e de Sollar conhecido, e como taes se tratarão com Cavallos, Creados, e toda a mais ostentação propria da Nobreza, sem que em tempo algum cometessem crime de Leza Magestade devina ou Humana, pello que me pedia elle mesmosuplicante por Merce que para a memoria de seus Progenitores se não perder, e clareza de sua antiga Nobreza lhe mandasse dar Minha Carta de Brazão de Armas das ditas familias, para dellas tambem uzar na forma que a trouxerão, e foram concedidas aos ditos progenitores. E vista por mim a dita sua petição, e sentença, e constar de tudo o referido e que a elle como descendente das mencionadas familias lhe pertence uzar e gozar de suas Armas segundo o meu Regimento, e Ordenação de Armas da Armaria lhe mandei passar esta Minha Carta de Brazão dellas na forma que aqui vão Brazonadas Devizadas e Illuminadas com cores, e metaes segundo se achão Registradas no Livro de Registro das Armas da Nobreza e Fidalguia destes Meus Reynos que tem Portugal Meu Principal Rey de Armas. A saber Hum Escudo partido em palla. Na primeira as dis Nogueiras, que são em campo de ouro huma banda xadrezada de verde e prata pessas em faxa, e sobre a ordem do meyo huma cotica vermelha. Na segunda palla as dos Gamas que são o Escudo xadrezado de ouro e vermelho de tres pessas em faxa, e cinco em palla, as vermelhas carregedas cada hua de duas faxas de prata. Elmo de prata aberto guarnecido de ouro Paquife dos metaes, e cores das Armas. Timbre dos Nogueiras, que he huma cabeça de Serpe de ouro xadrezada dos ditos esmaltes com um ramo de Nogueira na boca, com frutos de sua cor, e por differença hua brica de ouro com um M. negro. O qual Escudo e armas poderá trazer, e uzar tão somente o dito MANOEL JACINTO NOGUEIRA DA GAMA, assim como as troxerão, e usarão os ditos Nobres, e antigos fidalgos seus Antepassados em tempo dos Senhores Reys Meus Antecessores, e com ellas poderá entrar em Batalhas, Campos Reptos, Escaramuças, e exercitar todos os mais actos licitos da Guerra e da Paz. E assim mesmo as poderá trazer em seus Firmais, Aneis, Senetes, e Devizas pollas em suas Cazas, Capellas e mais Edificios e deixallas sobre sua propria Sepultura e finalmente poderá servir, honrar, gozar, aproveitar dellas em todo e por todos como a sua Nobreza convem. Com o que Quero e me Praz que haja elle todas as Honras, Privilegios, Liberdades, Graças, Merces, Isençoins e Franquezas que hão e devem haver os Fidalgos, e Nobres de antiga Linhagem, e como sempre de todo uzarão os ditos seus Antepassados; pello que Mando aos Meus Dezembargadores, Corregedores, Provedores, Ouvidores, Juizes e mais Justiças de Meus Reynos e em especial aos Meus Reys de Armas, Arautos, e Passavantes, e a quaisquer outros offeciais, e pessoas a quem esta Minha Carta for mostrada, e o conhecimento della pertencer que em tudo lha cumprão, e guardão, e fação inteiramente cumprir, e guardar como nella se contem sem duvida nem embargo algum que em ella lhe seja posto porque assim he Minha Mercé. A Raynha Nossa Senhora o mandou por Manoel José Gonçalves Escudeiro Cavalleiro de sua Caza Real, e seu Rey de Armas Portugal. Bernardo Joze Agostinho de Campos, Cavalleiro da Ordem de Sant-Iago da Espada, e Escrivão da Nobreza destes Reynos, e suas Conquistas, a fes em Lisboa, aos vinte e oito dias do Mez de Agosto do Anno do Nascimento de Nosso Senhor JESUS Christo de Mil setecentos noventa e oito. Eu Bernardo Joze Agostinho de Campos a fis e sobscrevi. Rey de Armas Portugal.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: